uma grande cidade sendo impactada por um evento
Gestão de eventos | 6 minutos de leitura

Compreenda os impactos de um grande evento na economia de uma cidade

Você sabe o impacto de grandes eventos em cidades como a sua? Confira agora mesmo!


A realização e o impacto de um grande evento é sempre muito impactante para todos os envolvidos — sejam eles organizadores, expositores ou visitantes. Afinal, eles movimentam muito dinheiro, demandam grandes estruturas e muito planejamento e organização.

Quase nunca paramos para pensar nos resultados gerados para a economia da cidade. Obviamente, muitos setores são movimentados e um bom número de visitantes é atraído para a localidade — e isso com certeza gera renda.

Porém, caso a cidade não comporte o evento, além de um grande desafio de logística, isso pode acabar trazendo prejuízos não esperados para os organizadores e também para o local.

Na prática, você conhece qual o impacto de um grande evento e o que ele pode causar em uma cidade? Então continue a leitura porque vamos falar mais um pouco sobre isso!

Qual o principal impacto de um grande evento?

O impacto de um grande evento em cidades que os sediam pode variar bastante, indo de extremamente positivo — gerando lucros e crescimento para diversos setores — até desastrosamente negativo — criando prejuízos e diversas contas a pagar ao final.

Tudo vai depender do planejamento, que depende de um bom trabalho na fase de pré-evento, e de uma análise muito bem-feita pelos organizadores.

Como já falamos, um grande evento pode impactar vários setores da economia positiva ou negativamente. Mas quais são os tipos de resultado que eles podem trazer?

Econômico

A repercussão econômica tem a ver com a movimentação de dinheiro gerada na cidade com o aumento do turismo, maiores vendas no comércio, arrecadação de impostos, entre outros. Esses impactos podem ser divididos em:

  • Direto: gerado pelo evento, por meio da compra de bens e contratação de serviços locais relacionados à sua montagem;
  • Indireto: oriundos do turismo, da compra de bens e da contratação de serviços por participantes e organizadores, mas que não se relacionem à infraestrutura direta do evento;
  • Induzidos: legado deixado pelos dois anteriores. Podemos avaliá-lo pela possibilidade de reutilização de recursos remanescentes na cidade, principalmente de infraestrutura.

Social

O impacto de grandes eventos em cidades afeta diretamente a população. Um grande evento pode trazer inúmeros benefícios que vão contribuir para a melhora da qualidade de vida dos habitantes daquela região.

As principais (mas não únicas) consequências que podemos notar no aspecto social são:

  • melhoria na segurança, mais eficácia no policiamento;
  • renovação urbana, com a construção de novas estruturas, parques, edifícios, praças, centros de esportes, parques urbanos, entre outros;
  • melhoria e renovação dos meios de transporte, com a criação de novas vias, renovação das frotas de ônibus, trens, metrô e investimento em antigos e novos aeroportos.

Todos eles são de extrema importância para a cidade, pois deixam um legado que a população consegue aproveitar — consequentemente, melhorando sua qualidade de vida.

Nesse sentido, é primordial que as autoridades e organizadores locais não deixem de ouvir os residentes da localidade onde as infraestruturas serão montadas, pois elas certamente influenciarão muito a rotina desses cidadãos.

Cultural

A chegada de grandes eventos sempre traz uma quantidade razoável de turistas, o que estimula muitos debates e incentiva a prática de atividades culturais que geram uma troca capaz de enriquecer ainda mais a cultura local.

Ambiental

O meio ambiente é um dos principais temas dos últimos anos e, claro, grandes eventos causam uma série de consequências para ele.

Elas podem ser muito preocupantes, já que toneladas de lixo são geradas — tanto orgânicos, devido a comidas e dejetos, quanto lixo seco, graças à grande quantidade de objetos descartáveis utilizados.

Há ainda um aumento na emissão de gases poluentes, em virtude da maior demanda por transportes. Mas também há a possibilidade de se gerar impactos muito positivos. Alguns exemplos disso são:

  • A Olimpíada de Atlanta (1996) teve como consequência a redução de 44,1% do número de atendimentos a crianças com ataques de asma, devido à implantação de transportes alternativos que melhoraram a qualidade do ar;
  • Pesquisas apontam como a qualidade da água, a higiene e o descarte de resíduos melhorou nos países asiáticos após os Jogos Olímpicos de Tóquio (1964) e Seoul (1988) e das Olimpíadas de Inverno de Sapporo (1972) e Nagano (1998);
  • Os Jogos Olímpicos de Sydney (2000) foram um marco para a cidade, implementando recursos de descontaminação de terra, uso de energia produzida por fontes renováveis e instalações aquíferas.

Ou seja, com uma boa gestão, é possível sim criar eventos sustentáveis de grandes magnitudes.

A “balança” dos grandes eventos

Depois de realizado o evento, devemos pesar na “balança” o impacto de grandes eventos em cidades. Isso é necessário porque é muito comum que alguns setores tenham um bom resultado e outros não.

Fazendo essa análise, é possível extrair grandes aprendizados para projetos futuros. É o que podemos observar com outros eventos que vamos abordar agora:

Copa do Mundo do Brasil

Se avaliarmos a Copa do Mundo no Brasil, fica fácil perceber os seguintes impactos positivos no mês de junho de 2014:

  • aumento de 6,3% no consumo da cerveja;
  • 25% de aumento nas vendas dos bares;
  • 20% de aumento nas ocupações de hotéis nas cidades-sede;
  • 140% mais turistas no país;
  • alta de 100% nas vendas de televisões;
  • aumento de 9,3% nas vendas de vestuários, calçados e artigos esportivos.

Porém, nem tudo são flores e o evento trouxe alguns pontos problemáticos nesse período:

  • queda de 10% nas vendas de restaurantes e fast-foods;
  • queda de 17,27% nas vendas de automóveis;
  • no comércio varejista, alta de somente 3,9% em junho, contra 5,4% do mês anterior.

Ao avaliar esses números, podemos tirar alguns aprendizados que devem ser considerados em próximos projetos. Futuros edições deve ter como prioridade pensar, por exemplo, em como incentivar o setor de restaurantes e fast-foods.

Da mesma maneira, os setores automobilístico e varejista precisarão encontrar saídas para lidar com as mudanças causadas pelo evento sem prejuízos.

Case: RD Summit

O RD Summit é um case de sucesso quando falamos de impactos para a cidade sede. A princípio, escolher uma cidade como Florianópolis para sediar o maior evento de marketing digital e vendas da América Latina podia não parecer uma decisão sensata.

Para eventos desse porte, as cidades de São Paulo, do Rio de Janeiro e também de Belo Horizonte são sempre o alvo de atenção dos organizadores. No entanto, os organizadores encontraram boas formas de driblar os problemas.

O investimento em tecnologias para eventos foi a solução ideal, principalmente com o uso de um aplicativo oficial do evento no qual os participantes encontravam, por exemplo, informações sobre o transporte público da cidade — contornando possíveis dificuldades de mobilidade.

O app ainda contava com dicas de hotéis, facilitando a tomada de decisão dos participantes e incentivando o setor de turismo local.

O impacto de um grande evento nas cidades em que acontecem, se serão negativos ou positivos, vai depender muito do planejamento e se ele foi pensado para ser sustentável. Portanto, ao final, é sempre importante pesar os resultados para perceber o quanto ele foi realmente positivo para a comunidade local.

Agora que você já conhece o impacto de um grande evento nas diversas cidades, compartilhe em suas redes sociais para que mais pessoas saibam todas as influências que eles podem gerar!


Compartilhe esse conteúdo!

Uma caixa de correio representando a caixa de entrada de email

Ei, quer nossos conteúdos direto na sua caixa de entrada?

Mais de 25.000 empresas já recebem os nossos conteúdos gratuitos sobre produção e organização de eventos. Cadastre-se agora, receba também!